• LinkedIn Social Icon

2017 

Falido Dolce Vita Coimbra à venda por 58,6 milhões de euros

6.6.2015

O falido centro comercial Dolce Vita Coimbra foi posto à venda por 58,6 milhões de euros, menos quase 20 milhões do que o total de créditos reconhecidos no processo de insolvência apresentado pela espanhola Charmartín, que tem em curso a liquidação judicial de quase todos os seus activos em Portugal.

 

Depois dos Dolce Vita do Porto e de Vila Real, assim como o Monumental, em Lisboa, chegou a vez do Dolce Vita Coimbra. Em processo de insolvência, não tendo sido apresentado plano de recuperação – nem pela proprietária, a espanhola Chamartín, nem por algum dos credores -, o centro comercial anexo ao Estádio Cidade de Coimbra seguiu para liquidação.

 

Colocado no mercado pelo gestor judicial desta falência, o anúncio da venda do Dolce Vita Coimbra refere como valor base de alienação 58,6 milhões de euros, montante que fica 19,2 milhões de euros abaixo do total da dívida reconhecida em sede de processo de insolvência.

 

Cerca de 77,4 milhões dos 77,8 milhões de euros de créditos reconhecidos pertencem à LSREF3 Octopus Investments, sociedade que pertence à "private equity" norte-americana Lone Star, a mesma que adquiriu recentemente a empresa responsável pelo desenvolvimento do "resort" de Vilamoura. 

 

Serão admitidas propostas tanto para a compra como para a dação em cumprimento dos activos. Ora como a avaliação do empreendimento é inferior aos créditos da LSREF3, que estão garantidos por hipoteca, "a dação em cumprimento apenas poderá ser realizada a favor de credores hipotecários de primeiro grau" – ou seja, à sociedade da Lone Star.

 

Entretanto, o Dolce Vita Porto, situado junto ao Estádio do Dragão, recebeu uma única proposta de compra – não se conhece o nome da entidade investidora, mas sabe-se que terá superado o valor mínimo de licitação de 41,5 milhões de euros, bastante abaixo dos 111 milhões de euros de dívida. Já o Dolce Vita Douro, localizado em Vila Real, que acumulou uma dívida de 64,3 milhões de euros e que estava à venda por 43,4 milhões de euros, não recebeu qualquer proposta de compra, pelo que deverá voltar em breve novamente ao mercado.

 

O centro comercial Dolce Vita Monumental, em Lisboa, também vai ser posto à venda, tendo entrado em processo de insolvência com uma dívida de 79,1 milhões de euros. Todos estes Dolce Vita têm como credor hipotecário a LSREF3.

(Correcção: Onde se lia que a dívida do Dolce Vita Porto era de 11 milhões deve ler-se 111 milhões)

 

In Jornal de Negócios

Please reload

Destaques

Há novas regras para recuperar empresas e particulares.

16.03.2017

Governo criou um novo regime extrajudicial de recuperação de empresas, reviu as regras do PER, que passou a ser apenas para as empresas e criou a figu...

1/10
Please reload

Notícias Recentes
Please reload