• LinkedIn Social Icon

2017 

Empresas criadas no 1.º semestre aumentaram 11,9%

14.7.2015

Os dados foram revelados pela empresa de gestão de risco IGNIOS, no âmbito do "Observatório de Insolvências, Novas Constituições e Créditos Vencidos" referente ao mês de junho.

 

De acordo com a mesma análise, o setor 'outros serviços' concentra o maior número de novas empresas, com um peso de 40,7% no total das constituições e foi também um dos que apresentou maior crescimento (14,6%), com mais 1.096 empresas criadas face ao mesmo período do ano passado (total de 8.579 empresas criadas).

 

Outros setores de atividade com crescimentos expressivos foram a 'hotelaria e restauração' (18,8%, para 2.491 empresas), a 'agricultura' (16,1%, para 1.153), o 'comércio a retalho' (10,1%, para 2.624) e o 'comércio de veículos' (20,1%, para 753).

O distrito de Lisboa foi aquele onde se registou o maior número de constituições de empresas (28%), seguido do Porto (18,5%), Braga (8,2%), Setúbal (6,2%) e Aveiro (5,9%).

O observatório refere ainda a tendência de estagnação nas insolvências de empresas, com um total de 4.147 empresas insolventes, o que corresponde a um crescimento de 0,6% face ao mesmo período de 2014 (4.124) e uma redução de 0,6% relativamente a 2013 (4.173).

Na primeira metade de 2015, as declarações finais de insolvência foram as que concentram maior número de processos (1.744), seguindo-se as insolvências requeridas pelos credores (1.263) e as apresentadas pela própria empresa (1.090).

 

Os serviços dependentes da procura interna e das importações concentram a maioria das insolvências, embora reduzindo o número de empresas insolventes face ao mesmo período de 2014.

É o caso da 'construção', que reduziu as insolvências em 3,8%, para 725 empresas, mantendo-se como o setor que maior número de insolvências registou (17,8%).

O "comércio por grosso", com um peso de 14%, e o "comércio a retalho", com um peso 14,6%, reduziram ambos o número de insolvências em 4,7% (para 485 empresas) e 1,6% (para 669 empresas), respetivamente.

 

A IGNIOS destacou ainda o setor do 'vestuário', que aumentou novamente o número de insolvências, mais 26,2%, para 164 empresas, o que levou a que o distrito de Braga aumentasse em 21,5% o número de empresas insolventes no primeiro semestre do ano (544 empresas).

A análise do observatório foi sustentada por informação extraída da base de dados IGNIOS, que contempla todas as constituições de empresas publicadas pelo Instituto de Registos e Notariado/ Ministério da Justiça e todas as Ações de Insolvência publicitadas também pelo Ministério da Justiça, no portal Citius.

A IGNIOS -- Gestão Integrada de Risco S.A., fundada em 1947, é uma empresa de soluções integradas e personalizadas de gestão de risco.

 

In Notícias ao Minuto

Please reload

Destaques

Há novas regras para recuperar empresas e particulares.

16.03.2017

Governo criou um novo regime extrajudicial de recuperação de empresas, reviu as regras do PER, que passou a ser apenas para as empresas e criou a figu...

1/10
Please reload

Notícias Recentes
Please reload